Monday, 14 November 2016

Caldo Verde peruano

Mais uma dessas experiências gastronômicas baratas e super saborosas do Peru, o Caldo Verde, que tinha passado por nós sem ser notado na viagem passada, mostrou-se uma ótima opção vegetariana/vegana para desayuno/almoço em Junín, Cerro de Pasco, Huánuco (e cidades próximas).

Imagem 1: Caldo Verde para o desayuno de Domingo, no Mercado que se desenrola entre Pasaje La Merced y Jirón 28 de Julio en Huánuco.
Estando de passagem por Cerro de Pasco, com Manuel Seminário e seu Coca Móvil, pensando em que comida vegetariana poderia haver no Mercado Central (que praticamente volteava a Plaza de Armas e que tinha 60% do seu espaço físico ocupado por carne), descobrimos o Caldo Verde, uma sopa vegana bem simples de batata branca "com um pouco de papa amarilla para espessar o caldo", como nos viria a explicar mais tarde uma mamita no mercado de Ambo (cidade próxima a Huánuco), e alguns temperos, podendo ou não ter um pouco de queijo ou ovo acrescentados na hora de servir. O que chama a atenção nesta sopa é que é condimentada por um caldo, que cada pessoa pode agregar à vontade, composto por "tudo o que for verde", como nos ia explicando a mesma mamita enquanto comíamos: salsinha, coentro, muña, hortelã, paico e... arruda! Sim, arruda!
Uma das principais reclamações de quem viaja por Peru e Bolívia é de ter indigestão ou vermes comendo en la calle, mas, depois de ter conhecido essa sopa, me pergunto se algum desses dois problemas aguentariam todos esses vegetais que, além de ser ótimos alimentos, são excelentes medicinas. A questão talvez seja mais sobre o que se come do que onde.
Imagem 2: "É muito bom para a digestão e para os bichos!" nos dizia a mamita do mercado da Pasaje la Merced em Huánuco, pouco antes de preparar una bolsita com canchitas que ia nos regalar para comermos mais tarde.


Encontramos o caldo verde desde s./ 2 (com opção de acrescentar queijo - Ambo) a s./ 2.50 (com opção de queijo e canchitas - Huánuco - ou queijo e ovo - Cerro de Pasco), ou seja R$ 2 a 2,50 por uma refeição.

Sunday, 13 November 2016

Tocosh, Alimento y Medicina: a penicilina natural peruana

Em menos de 24h saímos de Lima, 0 metros sobre o nível do mar, onde estávamos de manga curta e chinelos para chegar a Junín, 4.100, com dois pares de meias, dos pantalones e dois casacos grossos (e ainda assim passando um frio danado para dormir). E, com essa rápida mudança, dois dias de dores fortes de cabeça, e uma certa intolerancia a quaisquer alimentos muito doces, com derivados lácteos ou excesso de óleo... Por fim conhecíamos o tal Soroche, mal de altura.
Assim, garimpando algo que nao fosse doce nem estivesse pingando azeite, descobrimos para el desayuno ("desjejum"que é como se chama o café da manha por aqui), um mingau de Tocosh, vendido em carrinhos nas ruas (que também vendem outras mazamorras, como a morada (milho roxo), de camote (um tipo de batata doce), avena, etc).

O Tocosh é uma técnica andina de conservaçao de alimentos através de fermentaçao, no qual uma espécie de batata ou milho sao colocadas em uma rede de Ichu (palha andina), num buraco de aprox. 60cm cavado na beira de um rio, prensada por muitas pedras e deixadas ali entre 2 a 12 meses, para que a água do rio a lave e lave até que se decomponha e desenvolva um antibótico natural, muito efetivo, para depois serem secadas ao sol e utilizadas para fazer mingaus, caldos entre outros pratos.

Como nos encanta experimentar a diversidade alimentícia dos lugares onde passamos, resolvemos experimentar o tal Tocosh, tao apreciado na regiao de Junín, Cerro de Pasco e Huánuco, sobre o qual nunca havíamos ouvido falar antes. Seu gosto é de um amargo forte, e seu cheiro, meio podre, tampouco poderia ser considerado convidativo, mas encaramos o prato bem servido, hahahaha, afinal, valia s./ 1 (R$ 1) para uma nova experiencia gastronomica e medicinal.

Aqui citamos alguns de seus diversos benefícios para a saúde:
- Alimento probiótico;
- Aumenta a flora intestinal;
- Ajuda a melhorar a digestao;
- Tonifica o sistema imunológico;
- Bactericida e antibiótico natural;
- Combate pneumonia, bronquite, resfriado;
- Utilizado para tratar mal de altura "soroche";
- Dado para mulheres em seu período de pós-parto;
- Indicado para tratar úlceras estomacais, gastrite, hemorroidas e problemas renais;
- Dá calor ao corpo nas alturas andinas.

E foi assim que conseguimos nos livrar da dor de cabeça e da sensaçao de ter pedras no estomago... E, de quebra, descobrimos a fonte do cheiro forte que sentíamos nos mercados a cada vez que íamos comprar frutas e verduras no mercado municipal! hahahaha.

 Fontes (acesso em 11/11/2016):
Imagem 1: RecetasGratis.net
Tocosh Andino: Uso tradicional como penicilina natural + Imagem 2. Em http://www.inkanatural.com/es/arti.asp?ref=TOKOSH
Tocosh. Em https://es.wikipedia.org/wiki/Tocosh