Monday, 3 October 2016

Mashua (Tropaeolum tuberosum)

Imagem 1: Mashua Negra. Chaclacayo, Peru. 2016.
A MASHUA, da família das Tropaeolaceae (mesma da Capuchinha, por exemplo) é uma planta orignária dos Andes, sendo encontrada em Peru, Bolívia e Colômbia em altitudes que variam de 2.600 a 4.100 m. É uma planta bastante rústica, o que permite que se desenvolva bem em solos considerados pobres e, ainda assim, render o dobro do que o da batata. Em muitos povos andinos é semeada ao redor das plantações de batatas como repelente natural de pragas. Existem mais de 200 espécies conhecidas, com diversas cores desde amarela a vermelha e negra, e seus tubérculos são comercializados in natura a cerca de s. 2/kg no Peru.
Imagem 2: Comercialização da Mashua Negra em um mercado de Chaclacayo, Peru. 2016.
Usos alimentícios e medicinais

As mashuas de cores claras são utilizadas em sopas e pratos salgados, enquanto as de cor escura são utilizadas para refrescos, sobremesas, geleias e sua farinha pode ser utilizada até mesmo para incrementar pães e dar-lhes uma cor diferenciada.

De maneira medicinal, podem ser encontradas em forma de tinturas/extratos.

Possui antocianinas (pigmentos que lhe dão a cor escura) que estimulam a síntese do colágeno e inibem as enzimas que o degradam, o que, a nível externo, faz com que melhore a qualidade da pele; protegem a vitamina C no corpo, que é imprescindível para a formação do colágeno e absorção do ferro; inibem metabólitos inflamatórios, o que faz com que seu consumo ajude a controlar processos alérgicos; é rica em antioxidantes, que protegem o coração e os vasos sanguíneos; e também é utilizada para melhorar os casos de retenção de líquidos e de dores pré-menstruais.
Possui Isotiocianato de fetilo (C9H9N1S), que se conecta com as proteínas celulares e induz apoptose (“morte celular programada” ou “morte celular não seguida de autólise”) nas células cancerígenas e de crescimento anormal.
Em estudo publicado em 2012, feito com ratos em tratamentos de 7, 14 e 21 dias, o consumo regular de mashua reduziu a mobilidade do esperma e sua concentração em todos os tratamentos, sem apresentar efeitos tóxicos. Maiores estudos para determinar seu potencial anticonceptivo em homens ainda estão sendo feitos.

Referências
CHIRINOS, Rosana et al. Antioxidant properties of mashua (Tropaeolum tuberosum) phenolic extracts against oxidative damage using biological in vitro assays.
VASQUEZ, Jonathan H. et al: Decrease in spermatic parameters of mice treated with hydroalcoholic extract Tropaeolum tuberosum “mashua”. 2012. 6 p. ISSN 1561-0837.
TOWERS, G. H. Neils et al: Anti-reproductive and other medicinal effects of Tropaeolum tuberosum. University of british Columbia, Canada. 1980. Disponível em < http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/037887418290040X> Acesso em 03/10/2016.

Apoptose. https://pt.wikipedia.org/wiki/Apoptose acesso em 03/10/2016. Fotos: Arquivo pessoal, Peru, 2016.

No comments:

Post a Comment