Wednesday, 27 July 2016

Cúrcuma ou açafrão (Curcuma longa)

Resultado de imagem para curcumaUsada como corante natural para massas, maioneses, queijos e integrante de alguns temperos para peixes, a CURCUMA (Curcuma longa) também é uma planta extremamente medicinal!
De acordo com uma pesquisa recentemente divulgada pelo Centro de Estudos em Estresse Oxidativo e do Laboratório de Enzimologia do Departamento de Bioquímica da UFRGS, "a curcumina, princípio ativo responsável pela cor amarelo-alaranjada da Cúrcuma, tem conhecidas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, e os benefícios atribuídos ao pigmento natural vão da redução da gordura corporal à prevenção e ao combate da Doença de Parkinson e de Alzheimer, até à inibição do crescimento de câncer cerebral."
"A substância diminui o tamanho dos tumores e aumenta a sobrevida dos animais sem causar danos às células saudáveis.  Além disso, não foram observados quaisquer sinais de toxicidade oxidativa ou alterações em tecidos, no metabolismo ou no sangue. “É um composto natural, efetivo e não danoso”, resume o professor José Cláudio Moreira, um dos responsáveis pelo trabalho."

A raiz de cúrcuma contém: ácidos graxos, açúcares, amido, carvona, cineol, curcumina, felandreno, glicose, niacina, óleos essenciais, resinas, riboflavina, saponina, substância amarga, tiamina, turmerona.

Propriedades medicinais: Afrodisíaca, analgésica, antidiarréica, antiescorbútica, antiespasmódica, antinflamatória, antimicrobiana, antioxidante, antiséptica, antitóxica, cicatrizante (de feridas), colagoga (= facilita a expulsão da bílis retida na vesícula), colerética (= que aumenta secreção biliar), digestivo, diurética, emenagoga (que facilita o fluxo menstrual), estomáquica, excitante, hepatoprotetora, hipocolesterolêmica (= diminui o nível de colesterol no sangue), hipoglicemiante, laxante, litotríptica, resolutiva, tônico cardíaco.

Indicações: amenorréia, artrite e artrite reumatoide, auxílio à digestão, bexiga, cálculos biliares, colesterol alto, depressão, diarréia, dismenorréia, distensões abdominais e peitorais, epistaxia, espasmo, hematêmese, hematúria, má circulação, prisão de ventre, problemas dos rins, reumatalgias, sarampo, úlceras estomacais, psoríase e outras doenças de pele.
Combinada com a couve-flor, previne câncer de próstata, de mama e melanomas, e impede metástase e crescimento de novos vasos sanguíneos em cânceres existentes; reduz os riscos de leucemia infantil e efeitos secundários de quimioterapia.

É desintoxicante do fígado; indicado nos casos de hepatite, malária e colesterol alto.

Outros dados interessantes: Previne e retarda a progressão da doença de Alzheimer através da remoção da placa amyloyd acumulada no cérebro. Tem se mostrado promissora em retardar a progressão da esclerose múltipla em camundongos.

Como utilizá-la no dia-a-dia:
- tintura a 20%: deixar o rizoma triturado em maceração em 1 parte de álcool e três partes de água, durante três dias. Dosagem de 2-5 ml até 3 vezes ao dia;
- em saladas: 10 a 20 g da raiz fresca picada ou em pó para decorar;
- decocção: 3 a 9 g do rizoma por xícara de água: prisão de ventre, antiespasmódico, diurética, digestiva e acelerar a circulação;
- infusão: 1 colher das de café de pó de cúrcuma em 1 xícara das de chá de água quente. Abafar e filtrar. Tomar 2 vezes ao dia.
- infusão das flores: estimulante, sedativo, asma, bronquite;
- na culinária: como corante de molhos, temperos, mostarda, queijos, manteiga, maioneses caseiras xaropes, com verduras, sucos e vitaminas de frutas, ovos mexidos, carne de galinha, salmão, camarões, lagostas e no preparo de massas, pães e biscoitos.


Cuidados/ contraindicações
Em doses muito altas pode causar sono e um leve estado de embriaguez/delírio.

Referências
<https://pt.wikipedia.org/wiki/A%C3%A7afr%C3%A3o-da-terra>Acesso em 25/02/2016.
<http://www.plantamed.com.br/plantaservas/especies/Curcuma_longa.htm>
Resultado de imagem para curcuma
<http://www.saudedica.com.br/os-20-beneficios-da-curcuma-para-saude/>
Fotos: <bistrodabibi.com.br> e <https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/1b/7d/82/1b7d8270a3196faf715e72ba82842a53.jpg>
Curcumina pode ser uma nova aliada no combate ao câncer de cérebro <http://www.ufrgs.br/secom/ciencia/curcumina-pode-ser-uma-nova-aliada-no-combate-ao-cancer-de-cerebro/> Acesso em 27/08/2016